Muito bom isso de sentir o agora

Eu gosto assim. Desse jeito de agora. Com minha bochecha direita encostada no seu peito esquerdo. Eu gosto do cheirinho que tem a sua nuca, mesmo quando o banho já está quase vencendo. Eu gosto assim, exatamente assim. Com sua mão esquerda na minha cintura, enquanto a minha mão esquerda mexe na sua orelha direita.

É raro esse sentimento de perceber que estamos exatamente onde gostaríamos de estar. Em geral, ficamos confortáveis com os espaços e situações que ocupamos na nossa rotina. Podem não ser os melhores do mundo, mas a vida segue e a gente não raciocina sobre aquilo. Mas momentos como este, agora, não são corriqueiros. “Caralho, era exatamente aqui que eu queria estar” é algo que eu só sinto quando estou aqui, no seu peito esquerdo. Ou quando consigo reunir mais de 15 amigos no mesmo evento, é verdade.

É… Acho que comparar a alegria que toma conta da parte mais quentinha do meu coração quando sinto a sua pele grudada na minha com a felicidade que bate quando reúno a minha galera pode ser a coisa mais romântica que eu já defini na vida. Mesmo que não haja romance nenhum nisto aqui. Mesmo que seja só nós dois, deitados olhando para o teto, sem pensar que é amor, mas sabendo que é uma delícia independentemente do que seja.

Faz bem te ter aqui. Debaixo da mesma coberta que eu, com seu braço esquerdo em volta de mim todinha, enquanto o meu braço direito fica para trás para impedir que a gente se sufoque. Eu prefiro assim. Com meu nariz encostando na sua nuca e sentindo o seu cheiro de sempre. Mesmo que dure apenas cinco minutos. Nem que seja pela última vez.