Precisei te deixar

deixarEu precisei ir embora. Enquanto eu te esperava tomar banho, percebi que se eu ficasse mais um minuto naquela cama eu iria querer ficar nela para sempre. E eu nunca fui muito boa com para sempres. Se eu te visse mais uma vez, eu ia querer te ver todos os dias da minha vida, por isso não me despedi.

Ali deitada, fiquei imaginando você saindo do banho com o melhor de todos os cheiros, o cabelo todo molhado e aquela cara de felicidade. Aquela mesma cara de ontem e de anteontem e de todos os dias desde que a gente se conheceu. O sorriso mais lindo do mundo, o olho quase fechando de tanta alegria…

Quando percebi, eu já estava de pé, enfiando na mochila as minhas coisas que aos poucos se espalharam pelos cantos do seu apartamento. Naquele momento, eu me dei conta do quanto as nossas vidas estavam entrelaçadas. Senti que se elas se entrelaçassem por mais alguns minutos, não teria como desembolar. Nunca mais. A gente ia ficar preso um na vida do outro e eu não consegui raciocinar até que ponto isso seria positivo.

Fiquei com medo e vim embora. Medo de ser feliz demais. Medo de tanta tranquilidade. Muito medo. Eu acho que eu percebi a imensidão de tudo o que estava acontecendo entre nós dois e fiquei com medo de me perder nisso tudo. Isso tudo que eu nunca saberei descrever, mas que me fazia sorrir até no trânsito engarrafado. Isso tudo que eu talvez sempre tenha sonhado em ter, mas que era bonito demais para preencher a vida toda.

Vim embora. Trouxe a sua camiseta do The Smiths comigo. Não te ter nem um pouquinho mais talvez me deixasse devastada além da conta, então a tomei como companhia. Espero que você não sinta tanta falta dela. Espero não sentir tanto a sua falta. E que a gente sobreviva.